Um marco: Linux não funcionará mais nos velhos processadores 386

O kernel Linux é bem complexo: ele tenta manter suporte a uma enxurrada de processadores e dispositivos. Com o tempo algumas coisas antigas ficam engessando o sistema, embora o nível não seja tão crítico assim, dada a forma como o kernel é desenvolvido. Mas chegou a hora de deixar de lado algumas velharias: as novas versões do kernel não suportarão mais os processadores i386.

A remoção do suporte a esses processadores antigos visa facilitar a aplicação de algumas tarefas na reestruturação de partes do código. A discussão sobre a mudança vem ocorrendo desde agosto.

Com o fim do suporte aos i386 da Intel cai também o do Nx586 da Nexgen, empresa comprada pela AMD em 1996.

Foi proposto remover também a emulação de FPU (unidade de ponto flutuante), necessária para processadores 486sx. Mas segundo o desenvolvedor e funcionário da Intel H. Peter Anvin, que aplicou a remoção do suporte aos 386, aparentemente processadores clones do 486 sem FPU ainda são produzidos para dispositivos embarcados. Os desenvolvedores irão analisar melhor o caso antes de remover o emulador de FPU.

Não é novidade que distros atuais não rodam mais em PCs antigos. Seja por causa do “peso” dos módulos e interfaces atuais, ou por falta de drivers mesmo, é praticamente impossível imaginar alguém com uma distro de uso geral nessas máquinas. Só que até então quem realmente precisava bastava usar algumas distros especializadas ou recompilar o kernel com as otimizações necessárias. A partir das próximas versões, sem o suporte oficial dentro do kernel, quem precisar rodar Linux nessas máquinas bem antigas terá que se contentar com versões antigas do kernel. Acaba a esperança de ver o suporte voltar oficialmente.

É uma mudança necessária para os desenvolvedores e o estrago não será impactante. Afinal são processadores de décadas atrás, que provavelmente não estão tendo nenhuma utilidade prática hoje em dia. Só para ter ideia, o 80386 foi lançado em 1985, ainda era bastante popular na década de 90 e só deixou de ser produzido pela Intel em pleno 2007. Eles marcaram uma era, mas a hora chegou.

Deixe uma resposta